Educações inversas e ecologias infernais

R$5,80

O conceito de ecologia infernal sugere uma ecologia anárquica, libertária, indisciplinada, inversa, menor e de resistência, insubmissa à imposição de condutas e à uma educação ambiental sedentária, cristalizada e fascista. Essa noção de infernal é discutida e potencializada, neste ensaio, a partir dos diálogos que Fadigas (2003) realiza entre a educação e a inversão do platonismo na obra de Deleuze, da discussão que Gallo (2003) e Godoy (2008) fazem da educação e da ecologia, respectivamente, com o conceito de menor no pensamento de Deleuze e Guattari, e da proposta de educações infernais e profanas em Corazza (2002) e Larossa (2006). Como exercício e experimentação do pensamento dessas ecologias infernais, em seus encontros e conexões com as educações inversas, esse texto propõe um diálogo com as histórias de horror contadas em dois álbuns da banda de Heavy Metal King Diamond.

Educações inversas e ecologias infernais: experiências para pensar as educações ambientais a partir dos contos de horror do Heavy Metal de King Diamond
Rodrigo Barchi
28 páginas

Como Citar
Barchi, R. (2017). Educações inversas e ecologias infernais: experiências para pensar as educações ambientais a partir dos contos de horror do Heavy Metal de King Diamond. REMEA – Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 34(1), 311–329. https://doi.org/10.14295/remea.v34i1.6786

Disponível em REMEA – Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental.

Você também pode gostar de…