Publicado em Deixe um comentário

Fortaleça: Reforma da horta hidropônica de Utopia e Luta

Quem conhece o espaço coletivo de Utopia e Luta sabe da importância da horta no terraço e como esse tipo de cultivo fortalece as relações, os vínculos com a comunidade e os recursos desse assentamento urbano. Convidamos todas as pessoas para se somarem nessa campanha de financiamento coletivo e contribuir para que a horta volte com tudo. São necessárias diversas melhorias e manutenções, como a troca de 100m de lona de 200 micras, motores para hidroponia, insumos de plantio, estruturas, etc. Todos esses itens são bem específicos e dão pouco espaço para improvisações. Por isso Utopia e Luta precisa de sua ajuda para seguir cultivando um mundo de ideias, consciência e liberdade.

Conheça a campanha no Catarse e apoie.

Localizada no centro de Porto Alegre, a Comunidade Autônoma Utopia e Luta é uma exceção à regra das ocupações urbanas brasileiras. Iniciada em 2005 com uma ocupação durante o Fórum Social Mundial, a comunidade hoje é a única cooperativa que obteve regularização fundiária pelo Programa Crédito Solidário do governo federal. O prédio, situado nas escadarias do Viaduto Otávio Rocha na avenida Borges de Medeiros, foi contemplado com o programa viabilizado pela Caixa Econômica Federal e pelo Ministério das Cidades. Propriedade do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), o edifício estava em processo de deterioração e desocupado havia 17 anos. O projeto do Utopia e Luta é único do tipo entre os contemplados pelo programa Crédito Solidário desde 2007.

Hoje estamos as vésperas de completar 15 anos de uma Ocupação exitosa e precisamos do seu apoio para reformar nossa Horta hidropônica, lançamos nosso grito aqui do sul do Brasil aos nossos amigos e parceiros do mundo todo, seguimos autônomos e acreditando em um mundo possível, com mais justiça e igualdade social.”

Nanci Araujo
Publicado em Deixe um comentário

Cibernética, Anarquismo e auto-organização

View this post on Instagram

LANÇAMENTO: Cibernética, Anarquismo e auto-organização John Duda Tradução de Felipe Drago 32 páginas O renascimento e a reinvenção da teoria anarquista na segunda metade do século XX partilhou sua fase conceitual com o aparecimento da cibernética. Tendo em consideração as obras de Sam Dolgoff, John McEwan, Gray Walter, Paul Goodman e Gregory Bateson, entre outros, destaco alguns momentos-chave em que os novos conceitos científicos de sistemas, causalidade circular e auto-organização, encontraram seus caminhos em direção à teoria antiautoritária. Ao desenredar as múltiplas vertentes deste complicado encontro entre o anarquismo e a ciência do século XX, podemos entender melhor a genealogia das noções contemporâneas em torno da auto-organização, das redes e do horizontalismo, assim como evitar algumas das armadilhas enfrentadas pela geração anterior, encontrando, assim, inspiração em algumas das vias oferecidas por esta interseção ainda não totalmente explorada. www.monstrodosmares.com.br

A post shared by Editora Monstro dos Mares (@monstrodosmares) on

Cibernética, Anarquismo e auto-organização
John Duda
Tradução de Felipe Drago
32 páginas

O renascimento e a reinvenção da teoria anarquista na segunda metade do século XX partilhou sua fase conceitual com o aparecimento da cibernética. Tendo em consideração as obras de Sam Dolgoff, John McEwan, Gray Walter, Paul Goodman e Gregory Bateson, entre outros, destaco alguns momentos-chave em que os novos conceitos científicos de sistemas, causalidade circular e auto-organização, encontraram seus caminhos em direção à teoria antiautoritária. Ao desenredar as múltiplas vertentes deste complicado encontro entre o anarquismo e a ciência do século XX, podemos entender melhor a genealogia das noções contemporâneas em torno da auto-organização, das redes e do horizontalismo, assim como evitar algumas das armadilhas enfrentadas pela geração anterior, encontrando, assim, inspiração em algumas das vias oferecidas por esta interseção ainda não totalmente explorada.