Publicado em Deixe um comentário

Financiamento coletivo: “Cronicavírus in New Brazil: A Gambiarra da Destruição” de Raphael Sanz

Cronicavírus in Brazil: A Gambiarra da Destruição

A Gambiarra da Destruição é composta por onze crônicas escritas entre março e agosto de 2020, retratando de forma irônica o período em meio ao calor dos acontecimentos dos primeiros seis meses de pandemia. Escrita praticamente em código, as crônicas não dão nomes aos bois, apenas apelidos (e haja gado!). De toda forma, qualquer observador atento pode compreender a obra, que trata dos principais fatos e tragédias que estiveram em evidência nos meios de incomunicação, nas redes antissociais e na boca dos bozólogos e deformadores de opinião como um todo, para manter as expressões utilizadas pelo autor. Mas apesar do recorte temporal e factual, as piadas e reflexões colocadas também podem assumir um caráter atemporal, uma vez que dialogam também com o passado e o futuro em relação ao período narrado.

“O objetivo dessa obra é o de que ninguém, absolutamente ninguém, nem eu mesmo, seja levado muito a sério politicamente, diferentemente do que são e querem os fascistas: um bando de palhaços que exigem urras e aplausos o tempo inteiro”, declarou o autor para a Editora Monstro dos Mares.

Nas palavras de Gabriel Brito, editor do Correio da Cidadania ao lado do autor, este livro contém “humor e sagacidade para rir do pior ano das nossas vidas. Ao percorrer as páginas deste livro, o leitor poderá ter a sensação de que toda a indignação e estupefação diante do governo mais absurdo da história do Brasil foram traduzidas de forma até óbvia. Mas não é fácil escrever com humor sobre aquilo que, de fato, está nos corroendo como corpo social. Menos ainda nos tempos hiperprodutivistas que vivemos, nos quais todo avanço tecnológico parece apenas significar mais trabalho”.

Cronicavírus in New Brazil: A Gambiarra da Destruição
Raphael Sanz
Editora Monstro dos Mares
96 páginas
ISBN: 978-65-86008-11-1

Editado e impresso utilizando energia solar autônoma.
Edição artesanal: Impresso em duplicador digital, formato canoa, capa em papel colorplus de 180g.

Para apoiar o lançamento do livro acesse:
https://www.catarse.me/gambiarradadestruicao

Sobre o Autor

Cresceu nos anos 90 em São Paulo, quando começou a conhecer e ter contato com política, música e futebol. Frequentador de estádios, no começo dos anos 2000 conheceu o movimento punk antes de tornar-se jornalista, em 2008. Trabalhou por pouco tempo na imprensa esportiva para, logo em seguida, entrar de cabeça no jornalismo independente. Cobriu as jornadas de junho de 2013, entre outras mobilizações populares, como por exemplo a greve dos professores e as ocupações secundaristas em 2015. Após um breve hiato que começou em 2017 e no qual esteve repensando suas ideias e posturas enquanto trabalhava numa “firma padrão”, reapareceu para o jornalismo independente em 2019, quando também começou os trabalhos de tradução do livro Repensar a Anarquia, de Carlos Taibo, para a Editora Monstro dos Mares. Também foi jogador do Autônomos FC e baixista das bandas A Ferramenta e Pó de Osso. Atualmente vive em Santa Catarina como professor de espanhol e editor do histórico jornal independente Correio da Cidadania, além de baixista e vocalista da banda recém formada Fiscais de Cu.


Sobre as recompensas

A princípio, as recompensas não parecem ter qualquer relação entre si e esta campanha pode parecer, a olhos nus, quase tão alucinada quanto a realidade retratada na obra que busca financiar. Mas não se engane: tudo tem relação. O elo perdido entre todo esse material é justamente o autor d’ A Gambiarra da Destruição.

Repensar a Anarquia , de Carlos Taibo, e História de uma Indocumentada, de Ilka Oliva Corado, são dois livros traduzidos por Raphael Sanz e publicados pela Editora Monstro dos Mares.

Outro livro que está em jogo, mas com apenas 5 exemplares disponíveis, é o “ Antifa: Modo de Usar”, organizado por Acácio Augusto e publicado pelas editoras Hedra e Circuito. Ele está por aqui justamente porque há uma participação do autor, em uma matéria sobre antifascismo e segurança digital.