Publicado em Deixe um comentário

Rede de Apoio: Agosto de 2020 (um agradecimento especial)

Todos os meses a Editora Monstro dos Mares faz esse agradecimento às amizades que fortalecem nosso bonde e nos ajudam a atravessar os momentos difíceis e especialmente dramáticos como esse Agosto de 2020. Em função da pandemia, a manutenção da vida e das atividades da editora ficaram mais complexas. É compreensível que as pessoas não estejam priorizando o livro e as leituras nesse momento, então nossas vendas caíram bastante e cada real dos apoios nos ajudam muito, de verdade.

No início do mês ficamos uma semana fechados buscando cuidar de nossa saúde mental no auto-isolamento rigoroso que adotamos desde o dia 11 de Março. Quando retornamos às nossas atividades, foi decretada a greve da categoria de profissionais dos Correios (Carteiros e Carteiras, Atendentes e Operadoras e Operadores de Triagem e Transbordo, chamados de OTT’s). Nós apoiamos integralmente a mobilização contra o sequestro dos direitos e desmonte da empresa. Por isso, decidimos somar em solidariedade e não faremos nenhum envio enquanto a luta de trabalhadoras e trabalhadores manter a greve dos Correios.

Para agradecer monas, minas e manos que apoiam nossa Rede de Apoio no Catarse e no PicPay, que pacientemente vão esperar seus pacotes serem enviados depois da greve, nós vamos enviar o livro “Como dois rios que caminham ao contrário: um ensaio reflexivo com os guarani sobre desenvolvimento”, de Yan Chaparro e Josemar Nascimento, lançado recentemente por nossas amizades da editora Terra Sem Amos (TSA), a quem agradecemos imensamente o carinho e as trocas de ideias/lamentações.

Nosso muito obrigado!

  • Caio
  • Camila
  • Willian Aust
  • Leo Foletto
  • Nicolas Mosko
  • Viviane Kelly Silva
  • R.
  • Eduardo Salazar Miranda da Conceição Mattos
  • Enguia
  • Ricardo Mayer
  • Fernando Silva e Silva
  • Mauricio Marin
  • Roque Marciano
  • Lua Clara Jacira
  • Lupi
  • Adriano Gatti Mesquita Cavalcanti
  • Andressa França Arellano
  • Anna Karina
  • Vic
  • Zé
  • Doro
  • Karine Tressler
  • Andrei Cerentini
  • José Antônio de Castro Cavalcanti
  • Fyb C
  • Lorenzo
  • Gabriel Jung do Amaral
  • Mayumi Horibe
  • Phanta
  • Guapo
  • Ste
  • Márcio Massula
  • Apoiadoras e apoiadores anônimos.

A Editora Monstro dos Mares precisa da sua ajuda para continuar, contribua com
a Rede de Apoio no Catarse ou PicPay e receba materiais impressos em sua casa. 🖨️

Publicado em Deixe um comentário

Participe do financiamento coletivo do livro “Zumbi dos Palmares: por uma educação antirracista”, de Walter Vadala

zumbi dos palmares: por uma educação antirracista

Em “Zumbi dos Palmares: por uma educação antirracista“, Walter Vadala articula as possibilidades de encontros e diálogos que emergem a partir da história de Zumbi para que educadoras e educadores possam compreender e combater o racismo utilizando-se da educação como mediadora e fazendo da escola mais que um ambiente de conhecimento teórico, mas um ambiente de transformação social.

A Monstro dos Mares tem entre seus princípios a tarefa de disponibilizar exemplares impressos a bibliotecas comunitárias, coletivos, movimentos e centros sociais que, entre suas práticas, promovem uma educação libertária, antirracista e que questionam o padrão eurocêntrico dentro e fora das salas de aula. A função de nosso bonde editorial é fazer do livro uma ferramenta de luta contra o capitalismo, a colonialidade e o patriarcado em todas as suas expressões. Para a publicação de “Zumbi dos Palmares: por uma educação antirracista“, vamos fortalecer as seguintes coletividades:

  • Biblioteca comunitária de Parelheiros (São Paulo – SP)
  • Biblioteca Comunitária Livro Livre Curió (Fortaleza – CE)
  • Biblioteca Libertária Maxwell Ferreira (Belém – PA)
  • CIEJA Campo Limpo (São Paulo – SP)
  • Quilombo das Artes (Porto Alegre – RS)
  • Frente Quilombola RS (Porto Alegre – RS)
  • Anarquistas contra o Racismo
  • Coletivo Cultura Viva (São Paulo – SP)
  • Rádio Comunitária A Voz do Morro (Porto Alegre – RS)
  • Rádio Comunitária Aconchego (Recife – PE)
  • CCS Vila Dalva (São Paulo – SP)

Para que muitos exemplares possam chegar nesses espaços precisamos da sua participação. Ao apoiar com valores a partir de 10 reais ou recomendar a campanha de financiamento coletivo do livro para suas amizades, você estará fortalecendo a distribuição de materiais que vão fortalecer efetivamente a luta cotidiana de quem faz educação.

“Zumbi dos Palmares: por uma educação antirracista” – para apoiar o projeto acesse: catarse.me/zumbidospalmares

O processo de publicação de um livro exige a participação de muitas pessoas. Para colocar as ideias para circular, Vadala contou com a colaboração de Monica Marques, que fez a diagramação e criou as belas e poderosas ilustrações que compõem o livro. Também estão neste projeto o carinho e atenção de Luciana Teixeira Morais, que fez a revisão, e os generosos conhecimentos do bibliotecário e ativista Paulo R. Freitas, que contribuiu com a ficha catalográfica e aspectos formais de registro do material. Aqui na Monstro, nosso compa Da Vinci ajuda nas rotinas de mídias sociais, Baderna James como assistente editorial (e impressão) e abobrinha como editora geral do projeto (e montagem). Com a sua participação, vamos debelar os limites físicos e sociais dos muros que cercam as universidades e formam verdadeiros abismos entre comunidade e conhecimento.

Publicado em 3 comentários

Julho de 2020: Agradecimentos Rede de Apoio (Podcast bônus)

Tem dias mais difíceis, nos quais as preocupações estão além das necessidades de tinta, papel e textos. Ao pensar em questões como justiça social e segurança sanitária dos centros urbanos, das periferias e da vida no campo, refletimos sobre o que está acontecendo. Quem dirá sobre o que virá?

A pandemia está ensinando muitas lições sobre como encaramos a vida, as atividades diárias, nossa convivência com as pessoas próximas e a importância de saber “habitar nossas casas”. Uma questão que bateu forte aqui é a dúvida em torno da necessidade de sermos pessoas produtivas diante de um cenário tão adverso como o da doença que dominou o mundo. Por isso estamos fazendo como o velho marinheiro, que durante o nevoeiro leva o barco devagar.

Podcast bônus

No dia 17 de Julho de 2020, Baderna James e abobrinha gravaram sobre suas atividades na editora, diagramação de livros e zines utilizando software livre (LibreOffice e GIMP) e sobre a obrigatoriedade de sermos pessoas produtivas.

Queremos agradecer as pessoas que estão conosco diariamente e que confiam em nosso projeto editorial. Algumas delas fortalecem com os recursos para manter a editora em funcionamento. Com muito carinho agradecemos as amizades da Rede de Apoio:

  • Contribuições anônimas;
  • Gabriel Jung do Amaral;
  • Mayumi Horibe;
  • Phanta;
  • Lua Clara Jacira;
  • Leo Foletto;
  • Viviane Kelly Silva;
  • Ricardo Mayer;
  • Willian Aust;
  • Enguia;
  • Fernando Silva e Silva;
  • Mauricio Marin;
  • Adriano Gatti Mesquita Cavalcanti;
  • Andressa França Arellano;
  • Eduardo Salazar Miranda da Conceição Mattos;
  • Anna Karina;
  • Victor Hugo de Oliveira;
  • Zé;
  • Karine Tressler;
  • Andrei Cerentini;
  • Lupi;
  • Caio;
  • Fyb C;
  • José Antônio de Castro Cavalcanti;
  • Guapo.

A Editora Monstro dos Mares precisa da sua ajuda para continuar, contribua com
a Rede de Apoio no Catarse ou PicPay e receba materiais impressos em sua casa. 🖨️

Publicado em Deixe um comentário

Rede de Apoio: Junho de 2020

Rede de Apoio

A Rede de Apoio é uma iniciativa importante para manter qualquer iniciativa seguindo em frente. Bandos, bandas, coletivos, bibliotecas comunitárias, movimentos sociais entre outras coletividades dependem da mobilização e participação de pessoas. Existem várias formas de colaborar e fortalecer uma iniciativa que você considera importante: fazer recomendações para as amizades, compartilhar conteúdos, contribuir com ideias, somar-se a atividades presenciais e remotas, participar de cursos e oficinas, contribuir financeiramente, entrando com doações, divulgando vaquinhas e financiamento coletivos, distribuindo livros e zines na sua região, etc.

Algumas coletividades ainda não possuem formas de apoio recorrente e talvez esse seja um momento importante para você ajudar contribuindo para mobilizar pessoas e fazer um financiamento recorrente para fortalecer uma causa, um grupo ou uma atividade. Ofereça ajuda! Muitas pessoas têm restrições para falar sobre as dificuldades de recursos para seus coletivos e não se sentem confortáveis em pedir.

As pessoas que compõem a Rede de Apoio do coletivo dão aquela força importante para que a atuação, mobilização e transformação continuem acontecendo. Depois de 8 anos fazendo livros e zines de forma absolutamente artesanal, com o objetivo de fazer com que os livros cheguem na mão de mais e mais pessoas, nós da Editora Monstro do Mares decidimos que nossa jornada requer mais fôlego para sobreviver, seguir existindo e se envolver em novas publicações com mais profundidade. Por isso queremos agradecer as pessoas que nos ajudam todos os meses no Catarse ou no PicPay Assinaturas. Obrigado mesmo!

Rede de apoio: agradecimentos de Junho de 2020

  • Mayumi Horibe
  • Hugo Leonardo dos Santos Tavares
  • Lua Clara Jacira
  • Lucas Piteco
  • Leonardo Feltrin Foletto
  • Viviane Kelly Silva
  • Ricardo Mayer
  • Fernando Silva e Silva
  • Willian Aust
  • José Vandério Cirqueira
  • Mauricio Marin Eidelman
  • Adriano Gatti Mesquita Cavalcanti
  • Andressa França Arellano
  • Anna Karina
  • Zé
  • Karine Tressler
  • Andrei Cerentini
  • José Antônio de Castro Cavalcanti
  • Eduardo Salazar Miranda da Conceição Mattos
  • Contribuições anônimas

Faça parte de nossa Rede de Apoio no Catarse ou Picpay Assinaturas e ajude a manter nosso bonde editorial em atividade. 📗📕📙📚

Publicado em Deixe um comentário

E aí, cadê o meu pacote? 📮

Quando chegam meus livros? Por que meu pacote continua parado? O que quer dizer “objeto postado após o horário limite da unidade”? Essas são algumas das perguntas que temos recebido ultimamente. Por isso, vamos explicar neste post algumas das situações que vêm ocorrendo nas nossas entregas via correios, e também sobre o tipo de registro que utilizamos – Impresso com Registro Módico.

Nós falamos aqui no nosso blog sobre as medidas de contenção da disseminação do coronavírus adotadas pelos correios. Você pode ler essa postagem aqui e dar uma olhada na página oficial dos correios com todas as informações.

Isso quer dizer que talvez sua encomenda demore mais a chegar em comparação com os prazos de costume. Temos recebido, porém, notícias de que nossos pacotes estão sim chegando. Alguns dentro do prazo com o qual já estamos acostumados, outros em prazos maiores, pois os prazos de entrega foram ampliados pelos correios . Há pacotes que estão demorando mais sim, especialmente naquelas regiões que estão em alerta de risco de contágio mais elevado.

Por isso, fiquem de olho no código de rastreio, que é enviado por email assim que os pacotes são registrados no sistema dos correios. Também pedimos que fiquem atualizadas em relação à classificação de risco da região onde moram, pois essas situações (infelizmente) mudam rápido e não temos como saber como está sendo em cada cidade.

Você pode verificar o status do seu pacote pelo sistema de rastreamento no próprio site dos correios ou pelo seu serviço de rastreio preferido (nós utilizamos o Muambator).

Isso nos leva à segunda pergunta: por que meu pacote continua parado?

Nós utilizamos o serviço de envio de Impressos com Registro Módico, destinado ao envio de “Livros de maneira geral, postados por qualquer pessoa física ou jurídica, e Material Didático em geral postado por Escola de Ensino por correspondência e destinados a seus alunos), de acordo com o site dos correios.

Nessa modalidade de registro, o status da movimentação do objeto é informado à usuária duas vezes: quando o objeto é cadastrado no sistema dos correios ao chegar à agência e quando o objeto sai para entrega à destinatária. Após a entrega, o status é modificado para “Entrega efetuada” ou, caso ocorra algum problema, é sinalizada a devolução ao remetente.

O serviço de Registro Módico é diferente do registro de PAC e Sedex, que informam cada movimentação do pacote. Explicamos por que não utilizamos mais as opções de PAC e Sedex nesta postagem.

A Editora Monstro dos Mares decidiu DESCONTINUAR os envios através de PAC e SEDEX. Entendemos que também é nosso papel lutar e defender a Universalização dos Serviços de Correspondência e combater a precarização das atividades de profissionais Carteiros. São Monas, Minas e Manos que fazem a maior correria todos os dias para que livros, zines e cultura cheguem nas mãos de mais e mais pessoas. Somando em solidariedade com a categoria e seus familiares pela garantia dos direitos desses profissionais, independentemente de posições anteriores de sindicatos e ou indivíduos.

E o que significa “objeto postado após o limite de horário da unidade”? Significa que a editora fica no finalzinho da rota de coleta! 😅
Contamos com a gentileza de nossa agência e de nosso querido carteiro, que vem buscar os pacotes aqui todas as semanas. Como ele passa por aqui no fim da tarde, nossos pacotes são registrados depois que o horário de postagem da agência já acabou. Por isso, eles começam a andar só no dia seguinte.

Qualquer dúvida sobre o andamento de seu pacote, por favor entre em contato conosco via e-mail, Telegram ou redes sociais. Temos feito o possível para estar a par da situação dos correios e nos solidarizamos integralmente com a luta de todas e todos as/os profissionais que fazem a correria do dia a dia.

Obrigada, carteiro!

Publicado em Deixe um comentário

Rede de apoio: Maio de 2020

Precisamos agradecer as amizades que ajudam a manter nosso projeto editorial em atividade. Sabemos que o momento pede cautela, precaução e responsabilidade. A pandemia trouxe ao mundo diversas transformações no cotidiano e enfatizou as diferenças sociais que o grande capital impõe a toda a humanidade. Nenhuma pessoa está isenta de sua responsabilidade durante a pandemia. Portanto, pedimos que você mantenha a atenção e a solidariedade. É preciso cuidar de si, tomando as medidas de prevenção de contaminação e disseminação do vírus, cuidar de quem está próximo e das pessoas que também sofrem os impactos dessa crise, independentemente da forma.

Neste mês de Maio recebemos o carinho de muitas amizades e estamos muito felizes com isso. Por isso, agradecemos a todas as pessoas que curtem nossas publicações, acompanham nossas redes sociais, enviam mensagens privadas, e-mails, cartas, recomendam nossos materiais para as amizades e, sem dúvida, às pessoas que além de tudo isso ainda podem fazer um pouquinho mais fortalecendo nosso bonde com uma moeda em nossa Rede Apoio no Catarse ou no PicPay. Super obrigado! Seguiremos!

Nossos agradecimentos no mês de Maio de 2020

  • Mayumi Horibe
  • Hugo Leonardo dos Santos Tavares
  • Daniela de Souza Pritsch
  • Camila Silva
  • Vinícius Vieira Dias dos Santos
  • Rodolfo Maia
  • Lupi
  • Leonardo Feltrin Foletto
  • Eduardo Salazar Miranda da Conceição Mattos
  • R.
  • Lorenzo Basso Benevenutti
  • Fernando Silva e Silva
  • Willian Aust
  • José Vandério Cirqueira
  • Mauricio Marin Eidelman
  • Anna Karina
  • Victória Abreu Zanuzzo
  • Zé
  • Karine Tressler
  • Andrei Cerentini
  • Apoios e contribuições anônimas

A Editora Monstro dos Mares precisa da sua ajuda para continuar, contribua com
a Rede de Apoio no Catarse ou PicPay e receba materiais impressos em sua casa. 🖨️

Publicado em 1 comentário

Agradecimentos: financiamento coletivo “O índio no cinema brasileiro e o espelho recente”

Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos

O apoio mútuo persiste e é o que nos permite continuar existindo de forma criativa. Essa reciprocidade possibilitou que a edição deste livro se concretizasse, mesmo em momento tão conturbado. Próximo ao centenário da morte de um dos grandes pensadores desse tema, trago à tona um trecho de sua obra intitulada “A Inevitável Anarquia”,

“A imprensa não tem outro tema: suas colunas estão repletas de relatórios sobre os debates parlamentares, contados em seus mais ínfimos detalhes, bem como os fatos e os gestos dos personagens políticos, de tal sorte que, lendo os jornais, nós também, esquecemos demasiado amiúde que há milhões de homens — toda a humanidade — que vivem e morrem na alegria ou no sofrimento, produzem e consomem, pensam e criam fora dessas poucas personalidades cuja importância foi exagerada a tal ponto que ela cobre o mundo com sua sombra.”

ANARQUIA (Piotr Kropotkin, Ed. Imaginário, no prelo)

Por tudo isso, agradeço profundamente aos que compreendem essas palavras: foi e sempre será nós por nós!

Fico muito agradecido a todos os apoios que tornaram a produção do livro possível! Acredito ser este um momento importante para compartilhar o contexto original deste projeto, que surgiu em meio a uma necessidade pessoal de questionar o imaginário ocidental, esse mundo tragado pelo abismo, a partir da leitura da maneira como os personagens indígenas vêm sendo retratados no cinema brasileiro. Devo dizer que a trajetória de realização desse escrito foi dura e cheia de derrotas, boicotada e ridicularizada por muitos que achavam que ela não teria espaço na academia e no mundo universitário. Essas pessoas tinham e continuam tendo a sua razão ocidentalizada, baseada em seus preconceitos humanistas. Mas continuamos caminhando.

Nessa caminhada, cada vez mais encontramos aliados e fazemos pontes, não sem rupturas e conflitos. Tais conflitos são inerentes ao tema, e se alinham às posições contrárias a sua existência, que julgam-no como algo atrasado, não-civilizado, pouco passível de análise. Insistente e radicalmente “selvagens” seguimos, antes de nos percebermos e nos tornarmos “civilizados”. Emanando energias axés, muitas se somaram e somarão nessa caminhada. Por elas e muitos outros que virão, agradeço!

Quero fazer uma homenagem especial ao amigo Sergio Luiz Mesquita, professor de História da rede estadual e morador de Duque de Caxias. Profundo conhecedor e praticante da máxima libertária do Apoio Mútuo, o amigo me apoiou e abrigou em sua casa no Rio. A partir dessa proximidade, cada vez mais se interessou pelo o tema da terrível e trágica história de contato e extermínio que os parentes sofreram aqui. Desenvolveu, então, seu estudo Doutoral sobre a imigração e as visões que se tinham do imigrante ideal para o país, relacionando-as ao suposto atraso que pensavam ser o índio para o Brasil. Juntou-se à batalha e realizou estudos inéditos e pertinentes sobre a temática, revendo a construção e política de embranquecimento da nação na construção da história a contrapelo, ainda que sua valiosa contribuição tenha sido tragicamente interrompida ao ter sua vida ceifada na semana passada pela Covid-19.

Reafirmando a Resistência, criando e indo adiante, como dizia o zapatista Subcomandante Marcos, a terceira guerra mundial será semiótica. Esta obra recoloca a imagem dos povos ameríndios no Bra$il na batalha das Barricadas do desejo! Por mais que os queiram enterrar, viraram sementes, assim sobrevivendo em um imaginário pós-pandêmico. Retomando um outro gigante, que deve ser sempre citado, o Txai Ailton Krenak em uma entrevista já clássica diz que “os povos indígenas já sobrevivem há mais de quinhentos anos, quero ver é como sobreviverão os brancos…”

Viva e deixe viver, vida longa aos povos da Floresta! Temos muito a aprender com o seu bem viver…

Juliano Gonçalves da Silva
Autor do livro O índio no cinema brasileiro e o espelho recente

Agradecimentos

Alai Garcia Diniz
Alessandra Schmitt
Almir José Pilon
Ariel Machado
Bernadete Scolaro
Caio Maximino
Cassius Marcelus Cruz
Celso Moreira Louzada Filho
Cláudia Mariza Mattos Brandão
Cristina Pacheco
Daniel Swoboda Murialdo
Danillo Bragança
Diego José Ribeiro
Doris Beatriz Neumann Wolff
Eduardo Sobral de Souza
Elizabeth de Siervi
Fernando Matos Rodrigues
Glaucos Luis Flores Monteiro
Guilherme Festinalli
Ian Fernandez
Iracema S de Souza
João Neto
Jorge Luiz Miguel
Jose Paulo da Rocha Brito
Juliano Gomes
Juliano José de Araújo
Karina Segantini
Kinoruss Edições e Cultura
Lisandra Barbosa Macedo Pinheiro
Lucas Alves
Luciana Siebert
Luciani Moreira Brignol
Luiz Alberto Barreto Leite Sanz
Maclau Gorges
Magaly Rosa Moreira
Marcelle de Saboya Ravanelli
Marcelo Castequini Martins Ferreira
Marcelo Ribeiro
Maria Betânia Silveira
Nando Korin
Nele Azevedo
Norberto de Jesus Prochnov
Nycolas dos Santos Albuquerque
Paulo Oliveira
Paulo Vitor Carrão
Ranulpho
Raphael Sanz
Rodrigo de Almeida Ferreira
Rodrigo Ribeiro Paziani
Rosy Dayane do Nascimento Costa
Sabrina Alvernaz Silva Cabral
Thaís Amorim Aragão
Vinicius Nepomuceno
Wilson Lira Cardoso
Zé
Apoios e contribuições anônimas
Agradecimentos para apoiadoras e apoiadores que tornaram possível a realização do livro “O índio no cinema brasileiro e o espelho recente” de Juliano Gonçalves da Silva, realizada no Catarse, durante os dias 02 de Março e 11 de Maio de 2020.
Publicado em 1 comentário

Nosso projeto prossegue: agradecimentos Rede de Apoio Abril de 2020

O Brasil se transformou. A emergência global da Covid-19 atingiu a saúde e a segurança de todas as pessoas. São tempos de cuidados e solidariedade com individualidades, comunidades e projetos próximos. Também é um tempo de dúvidas sobre a manutenção da vida e das atividades de nossa editora. Tivemos que tomar algumas medidas importantes, como abrir o chamado para um Fundo de Emergência, decidimos em reunião do conselho editorial suspender ações dos lançamentos programados para os próximos meses e economizar na reposição de insumos.

Uma editora existe para distribuir ideias significativas a seu tempo e entendemos que nossa atividade de fazer livros e zines não pode parar. Observamos uma compreensível e significativa queda nos pedidos em nossa loja virtual. Naturalmente, surgiram muitas dúvidas sobre como vamos atravessar esse período, questão comum entre a maioria das pessoas que conhecemos. Mesmo com tudo isso, percebemos que nossas amizades da Rede de Apoio no Catarse Assinaturas e no Picpay Assinaturas seguem confiando e acreditando no que fazemos pela diversidade de ideias e epistemologias.

Agradecemos aos apoios do mês de Abril de 2020:

  • Lucas Piteco;
  • Leonardo Feltrin Foletto;
  • Camila Silva;
  • Fyb C;
  • R.;
  • Viviane Kelly Silva;
  • Fernando Silva e Silva;
  • Caio;
  • Mauricio Marin Eidelman;
  • Willian Aust;
  • Geanny Paula Thiesen;
  • Guapo;
  • Jadson Stevan Souza da Silva;
  • Anna Karina;
  • Andrei Cerentini;
  • Vinícius;
  • Rodolfo Maia;
  • Eduardo Salazar Miranda da Conceição Mattos;
  • Lorenzo Basso Benevenutti;
  • Mayumi Horibe;
  • Daniela de Souza Pritsch;
  • Contribuições anônimas.

Ei pirata! 🏴‍☠️
Faça parte da Rede de Apoio da editora fazendo uma contribuição mensal:
Catarse assinaturas ou no PicPay assinaturas

Publicado em Deixe um comentário

Financiamento coletivo em 50%, quase lá!

Enfim o financiamento coletivo do novo livro da Monstro dos Mares chegou em 50% e, com a sua ajuda, vamos chegar lá! Ou seja, o livro “O índio no cinema brasileiro e o espelho recente“, de nosso amigo Juliano Gonçalves da Silva, tem tudo para acontecer. No momento em que muitas pessoas estão preocupadas com o que vai acontecer nas próximas semanas, surpreendentemente chegamos na metade de nossa meta de financiamento.

Conforme a resenha do livro publicada pela Dra Claudia Mayer, certamente esse título vai contribuir para importante reflexão sobre o impacto cultural das representações ficcionais sobre a existência real dos povos indígenas, ao discutir como o cinema ficcional produz, reproduz e contraria os estereótipos constituídos acerca dos indígenas que permeiam o imaginário da cultura brasileira. Inegavelmente, a pesquisa do Juliano vem a favorecer o interesse de pesquisadoras acadêmicas, de pessoas que se interessam pelo cinema nacional e latino-americano e apoiadoras da causa indígena. Além disso, este livro vem fortalecer ferramentas para criação de acervos de videotecas, cineclubes e salas de exibição comunitárias e populares. Assim, o projeto ultrapassa o alcance individual de cada livro e busca atingir a sociedade como um todo.

Financiamento coletivo

Como resultado desse financiamento coletivo, pretendemos imprimir cerca de 200 exemplares do livro durante o ano de 2020. O financiamento coletivo também tem o propósito de distribuir gratuitamente parte considerável dessa tiragem de livros artesanais para bibliotecas comunitárias, coletivos, movimentos sociais, pesquisadoras acadêmicas e independentes. Os livros são feitos artesanalmente, em casa, utilizando uma impressora doméstica, equipamentos mecânicos muito simples como uma guilhotina e grampeador.

Para que o livro chegue em mais e mais mãos, pedimos sua gentil contribuição no financiamento coletivo no Catarse. Você pode contribuir com qualquer valor a partir de 10 reais e receber recompensas pelo seu apoio.

Apoie o financiamento coletivo do livro “O índio no cinema brasileiro e o espelho recente” de Juliano Gonçalves da Silva no Catarse -> http://catarse.me/oindionocinemabrasileiro

Publicado em Deixe um comentário

Correios e Corona: dicas, pedidos e prazos

fretes

Olá amizade! Primeiramente, esperamos que você esteja em casa e que esteja bem. As trabalhadoras e trabalhadores dos Correios não pararam suas atividades (ainda) e a categoria está fazendo o máximo para manter as entregas. Foi criada uma página no site dos Correios com informações sobre o Corona Vírus (Covid-19) e sobre os serviços de correspondência e encomendas.

Conforme os boletins aos clientes sobre o Covid-19, trabalhadores no chamado grupo de risco (incluindo gestantes, lactantes e aquelas pessoas com filhos em idade escolar) estão trabalhando de casa. As estações de trabalho, agências, centros de triagem e de distribuição estão operando com equipes reduzidas e os turnos de limpeza foram intensificados. Serviços de entregas expressas foram suspensos (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje e Telegramas) e um tempo adicional de 3 dias úteis para os serviços de PAC e SEDEX e de 5 dias para correspondências foi adicionado. Além disso, algumas precauções aos Carteiros foram reforçadas, como evitar contato físico na hora da entrega: com o celular, o profissional faz o registro da entrega sem a necessidade de assinar o recebimento de objetos, entre outras medidas preventivas dos Correios.

Remessas de correios

Seja como for, a Monstro dos Mares segue imprimindo e enviando materiais pelos Correios. Agendamos as coletas para terças e sextas-feiras. Portanto, na terça serão enviados os pedidos de livros e zines realizados entre sexta e segunda, e na sexta serão enviados os pedidos entre terça e quinta-feira. Assim, nosso amigo carteiro (abraço, Heveraldo!) não precisa vir coletar pacotes todos os dias e ficar ainda mais exposto. Agradecemos a gentileza de nossas amizades dos Correios em ofertar a coleta sem custos, valeu mesmo! Os valores dos fretes permanecem sem alterações.

Nossas dicas para o isolamento social

  • Fique em casa

    Se possível, fique em casa. Principalmente se você compartilhar a moradia com grupos de risco;

  • Ajude seu vizinho

    Muitos apertos surgirão para quem tem dificuldades motoras, pessoas com necessidades ou capacidades limitadas, situação de pobreza e vulnerabilidade social. Se puder, fortaleça com alimentos, fraldas, material de limpeza, itens de higiene pessoal, etc. Você sabe o que fazer: somar na solidariedade;

  • Evite inundações

    O excesso de notícias pode aumentar a ansiedade. Não há problema em parar de seguir alguém por um tempo, sair ou silenciar aquele grupo onde a galera só fala bobagem. Dê um tempo pra você;

  • Evite álcool e drogas

    Além de baixar suas defesas imunológicas, a brisa pode consumir recursos importantes para momentos difíceis. Seria bem ruim você sair de casa expondo seus co-habitantes apenas para fazer um corre;

  • Sua criatividade é bem-vinda

    Escreva um zine, afine seu violão, agilize aquela revisão bibliográfica da sua pesquisa, faça traduções para a Agência de Notícias Anarquistas, insira textos na Biblioteca Anarquista Lusófona, selecione o artigo que você escreveu e envie para Monstro dos Mares;

  • E aquela amizade com quem você não fala faz um tempão?

    Envie um e-mail carinhoso, mande um Scrap, combine uma ligação pelo app. Esse período em casa pode ser precioso para fortalecer vínculos;

  • Faça pão

    Você não precisa se preparar para uma guerra, mas será que você precisa fazer compras todos os dias? Aproveite o tempo em casa e faça pão, bolos e biscoitos. Hoje eu sou o padeiro, amanhã é você. Crianças são super bem-vindas nessa tarefa;

  • Cuide da segurança digital

    Nunca temos tempo para fazer um backup. Aproveite para verificar as rotinas de segurança dos dispositivos, introduza a Segurança de Pés Descalços nas referências de proteção da sua máquina, espertofone e do seu coletivo;

Agradecemos o apoio, mensagens carinhosas, palavras de incentivo e contribuições que estamos recebendo.