Publicado em Deixe um coment√°rio

Feliz 2019, criptografe seus dispositivos!

O ano de 2019 j√° come√ßou e 2013 nem mesmo terminou. O estado de vigil√Ęncia, as persegui√ß√Ķes e criminaliza√ß√£o das lutas, dos movimentos e das pautas sociais sempre estiveram em funcionamento mesmo antes da aprova√ß√£o da Lei Antiterrorismo sancionada pela presidenta Dilma. S√≥ que agora a coragem de alguns adquiriu novas configura√ß√Ķes e ind√≠genas est√£o sendo assassinados por bandos desconhecidos (que muitos sabem que s√£o pau-mandados do agroneg√≥cio), os direitos sociais da classe trabalhadora recua cada dia mais com a terceiriza√ß√£o irrestrita, privatiza√ß√Ķes, achaque na previd√™ncia e outros tantos.

Aqui na Monstro dos Mares n√≥s fazemos livros e desde antes da Opera√ß√£o √Črebo j√° sab√≠amos que livros n√£o podem ser provas de crimes, mas que est√£o sendo criminalizados. Entra governo, sai governo, recebemos not√≠cias de que a moradia de militantes sociais, centros de cultura libert√°ria, ocupas, ongs, sede de federa√ß√Ķes anarquistas est√£o sendo invadidas, onde curiosamente livros (sim, livros!) e garrafas PET s√£o apreendidos e exibidos para as c√Ęmeras de TV como ind√≠cios de crimes potenciais numa verdadeira afronta √† racionalidade humana.

Mas afinal que tipo de racionalidade esperamos?

Fazemos livros para que mais e mais pessoas possam descobrir por seus pr√≥prios meios ou de m√£os dadas com monas, minas e manos, que a liberdade n√£o deve ser apenas um direito dado aos ricos, tirando-as de quem mais sofre. Nossos livros cont√™m palavras daquelas pessoas que lutam por direitos sociais, por igualdade, por reconhecimento das diversidades, pelo direito √† terra, pelo acesso √† condi√ß√Ķes dignas de moradia e trabalho. Nossas edi√ß√Ķes, bem como impress√Ķes de editoras e coletivos que consideramos pr√≥ximas √†s nossas ideias tratam de perspectivas an√°rquicas de enfrentamento √†s opress√Ķes, sejam elas onde estiverem: no preconceito racial, na desigualdade social, no binarismo de g√™nero, determinismo biol√≥gico, especismo, do marido/padre/pastor, do patr√£o, da p√°tria, da pol√≠cia, da pol√≠tica, do mercado e do estado. N√£o interessa onde est√£o as opress√Ķes, interessa √© saber como voc√™ vai arrega√ßar as mangas, esticar os bra√ßos e (re)tomar o seu espa√ßo.

Para isso convocamos:

Criptografe seus dispositivos, utilize navegação segura, crie ruídos nas frequências onde você e seus não possam ser escaneados. Encontre-se, discuta, produza, manifeste e celebre, ainda que secretamente, ainda que ninguém possa ver.

Fa√ßa de 2019 o in√≠cio de um novo tempo contra o fim de todas as opress√Ķes!

Proteja seus dados: