Divulgação Acadêmica Anárquica

Exibindo 61–75 de 205 resultados

  • La violencia espistémica

    R$5,00

    La exigencia de aprender la lengua y la cultura del colonizador es pieza central de los proyectos imperialistas, de tal modo que esa lengua y esa cultura sean también las únicas de los colonizados.

  • Cultura de Segurança: um manual para ativistas

    R$8,00

    Esse é um manual para ativistas que estão interessados em criar e manter uma consciência e cultura de segurança nos movimentos sociais.

  • Nativas feministas comem tofu

    R$3,00

    Uma releitura ecofeminista e póscolonial das lendas Mi’kmaq como base para um veganismo indígena.

  • O anarquismo no século 21

    R$23,00

    Está cada vez mais claro que a era das revoluções não acabou. E torna­-se da mesma forma evidente que o movimento revolucionário global no século XXI terá origens que remontam menos à tradição do marxismo, ou mesmo do socialismo no sentido estrito, que à do anarquismo. Em todo lugar, do Leste Europeu à Argentina, de Seattle a Bombaim, as ideias e os princípios anarquistas geram novos sonhos e visões radicais.

  • Contra o sectarismo

    R$1,00

    O espírito anárquico é essencialmente avesso a quaisquer fanatismos.

  • Por que Anarquistas não votam?

    R$1,00

    Este é um artigo bem simples do geógrafo e anarquista francês Élisée Reclus, que o pessoal do coletivo “existe política além do voto” criou para você distribuir feito “santinho”.

  • Manifesto Ciborgue

    R$22,00

    Uma crítica ao determinismo biológico na ficção científica. Podem ciborgues assimilar as marcações binárias de gênero?

  • Educação e Cultura Libertária

    R$2,00

    Os anarquistas pretendiam testar seus métodos reeducando e desbloqueando as mentes embrutecidas por condicionamentos milenares, aplicados ao longo de muitas gerações humanas.

  • Tipo exportação: desmontando as mentiras de José Mujica

    R$5,00

    Texto produzido por anarquistas no território dominado pela tirania do Estado Uruguaio. O objetivo é desmistificar a imagem de “representante do povo” ou das classes mais humildes que José Mujica criou em torno de si para chegar e se manter na presidência de 2010 até 2015.

  • Como a não-violência protege o estado

    R$40,00

    Como a não-violência protege o estado desafia a crença de que a não-violência é a única forma de lutar por um mundo melhor.

  • Ciberfeminismo

    R$24,00

    Desde que deixou os laboratórios das universidades e outros centros de pesquisa e tecnologia – tradicionalmente ocupados por homens cis, brancos, hetero, e membros da elite econômica –, a Internet se constrói como um local que, ao mesmo tempo, abriga (re)produção de discursos misóginos e tem o potencial de ser uma ferramenta poderosa para o enfrentamento daqueles mesmos discursos.

  • Como se opor ao fascismo na cena do metal extremo

    R$1,00

    Muitas vezes a cena extrema / black metal não tem sido o local mais acolhedor para pessoas não brancas e / ou LGBTQIA. Essas pessoas gostariam de ir a shows de black metal e fazer parte da cena, mas muitas vezes não se sentem seguras pela presença consistente de racistas em shows e festivais. A forte presença de racistas no Black Metal chegou a produzir um subgênero completamente novo e autônomo: o infame NSBM (NS), ou National Socialist Black Metal.

  • Ameaça a Rojava

    R$6,00

    As pessoas que arriscam suas vidas nos escombros de Kobane precisam do nosso apoio não somente por resistirem aos assassinos reacionários e fanáticos que querem matar cada um deles, mas também na tentativa de criar uma sociedade sem Estado baseada em ideais de liberdade e igualdade. O povo de Rojava resolveu lutar, e nós devemos fazer o mesmo.

  • Conversas com um abolicionista do sistema penal

    R$5,00

    Louk Hulsman é professor emérito na Universidade de Rotterdam e membro de diversos foros internacionais das Nações Unidas, do Conselho da Europa e das Sociedades de Direito Penal e Criminologia. Hulsman é um abolicionista penal que desestabiliza não só o direito como o próprio abolicionismo. Desconcerta o Direito ao sacudir as certezas pensadas em torno de legalidades e ilegalidades.

  • Durruti está morto, contudo vivo

    R$2,00

    Emma Goldman, momentos após a morte de Durruti, escreve um breve e inesquecível texto sobre a existência revolucionária, na Espanha de 1936. (Tradução do inglês por Maria Abramo Caldeira Brant.)

Exibindo 61–75 de 205 resultados