Publicado em 1 comentário

[Live de lançamento] Zumbi dos Palmares: por uma educação antirracista

Olá amizade! Enfim entramos na “era das lives” e queremos que você venha participar de nossa primeira transmissão ao vivo para lançamento de livros. No dia 9 de Dezembro, às 20h, vamos conversar com Waltinho Vadala, autor de “Zumbi dos Palmares: por uma educação antirracista”. Lançado através de financiamento coletivo pela Monstro dos Mares, está sendo distribuído para onze espaços de educação e luta antirracista.

Coloque na agenda 🙂

Lançamento “Zumbi dos Palmares: por uma educação antirracista”
9 de Dezembro de 2020, 20h.
Instagram da editora @monstrodosmares

Apresentação

Assim como Zumbi, por meio da luta e da resistência o movimento negro tem entre suas maiores conquistas a Lei 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino da cultura afro-brasileira e africana nas escolas públicas e particulares de todo o Brasil.

Por isso, a história de Zumbi dos Palmares tem todo o necessário para levar o educando à compreensão de como a cultura afro-brasileira e africana é fundamental na formação da identidade cultural brasileira, e de como o educador pode questionar e combater as estruturas eurocêntricas históricas que ainda permanecem intrínsecas à maneira que se conta a história negra dentro das escolas. Este é o intuito principal deste livro. Segue, então, uma análise de como o movimento negro se mobilizou ao longo do século XX para obter uma das maiores conquistas afro-brasileiras na educação: a inserção da sua história e da história de suas raízes africanas no currículo educacional do país.

O movimento negro é a organização do povo afro-brasileiro na construção do combate ao racismo na educação brasileira. Ele serve de exemplo teórico metodológico para os educadores superarem o “racismo histórico” que ainda se reflete na educação brasileira e influencia principalmente no processo de construção da identidade do educando negro, que não se vê representado na formação cultural brasileira. Por mais que a teoria explique que a identidade brasileira se forma com a cisão das culturas europeias, indígenas e africanas, apenas a cultura branca é descrita na história. Entretanto, a partir do momento que temos um herói negro que luta pela liberdade mesmo estando à margem do sistema, esse aluno se vê representado e culturalmente pertencente a essa identidade brasileira.

O autor

Nascido na década de 90 e criado na cidade de Taboão da Serra, em São Paulo, neto de nordestinos e bisneto de imigrantes da Síria e da Itália, Walter Vadala é professor do Estado de São Paulo desde 2013. Por opção, leciona nas áreas mais periféricas. É historiador com pós graduação em e Psicopedagogia, Arte e Cultura Afro-Brasileira e Indígena, e atualmente estudante de Ciências Sociais. Fundador do Coletivo Cultura Viva, um movimento de propagação das culturas indígenas da América através de eventos culturais e produções audiovisuais, produziu e lançou em 2019 um documentário sobre como os Guaranis transmitem seus conhecimentos originários para suas crianças através do canto. O documentário é intitulado “Vozes Guarani”.