Publicado em Deixe um comentário

Começa hoje a XI Feira Anarquista de São Paulo

XI Feira Anarquista de São Paulo

No mês de Novembro costumamos fazer uma correria danada para estar presente na Feira de São Paulo. É lá que as pessoas se encontram, compartilham ideias, fortalecem vínculos, descobrem iniciativas, promovem conversas, fazem arte, trocam saberes e mantêm acesa a chama. Antes da pandemia, nosso bonde editorial preparava a viagem para SP desde muito cedo. Um rolê de comprar passagem, encontrar lugar pra ficar, escolher os títulos para levar, rodar centenas de impressões, enviar caixas de livros pela transportadora, viajar e voltar.

Como você já sabe, em 2020 não teve feira pois a pandemia não permitiu. Mas em 2021 a Biblioteca Terra Livre, CCS-SP, e NELCA organizaram uma edição com seis dias de atividades online no YouTube. A programação vai de 8 até 13 de Novembro e você acompanha todas as informações no site da XI Feira Anarquista de São Paulo, que contará com apresentações musicais, atividades culturais, mesas de debates, contação de histórias, aulas de Yoga e rodas de conversa, entre outras atividades.

Os coletivos, grupos, editoras e artistas que costumam expor material no Tendal da Lapa receberão a visita e o carinho das amizades em seus espaços de divulgação on-line. Neste ano de 2021 participam: Biblioteca Terra Livre, CAFI, Centro de Cultura Social, Intermezzo, Entremares, Faísca Publicações, Monstro dos Mares, Eleuterio (Chile), Barricada de Livros (Portugal), Terra sem Amos, Edições Tormenta e No Gods No Masters.

Acesse: feiranarquistasp.wordpress.com

Publicado em Deixe um comentário

Conferência Kropotkin 2021: chamada de artigos

https://kropotkin2021.com

Peter Kropotkin 1921-2021 – International Conference/Conferencia Internacional, Universidade de São Paulo (USP), Brazil, 19-23/7/2021

As ideias de Kropotkin sobre ajuda mútua continuam a desafiar noções capitalistas e neoliberais atuais de competição e podem servir para contestar o Malthusianismo presente nas ciências sociais e do desenvolvimento, especialmente no que é chamado hoje de “Sul Global”. A noção de ciência de Kropotkin como sendo sinônimo de pensamento ético, experimentação criativa e questionamento sem limites ainda afrontam manifestações correntes de fanatismo religioso e obscurantismo por todo o mundo, incluindo o retorno do criacionismo. As ideias de Kropotkin sobre federalismo e decentralização ainda fomentam debates sobre a inter-relação entre economia e política, sociedade, cultura e território, e questões ambientais em diferentes níveis. Seu internacionalismo, mesmo que controverso, tem lições para todas/os aquelas/es que lutam contra as paredes e fronteiras que são (re)construídas cada vez mais no mundo, e pelo cultivo da solidariedade internacionalizada entre todas/os as/os oprimidas/os. O anticolonialismo de Kropotkin está entre as primeiras tentativas de incluir espaços e identidades em todas as lutas por justiça social, agora estimulando ideias sobre o “giro espacial” em movimentos sociais na América Latina e outros. Os esforços de Kropotkin em prol do desenvolvimento de novos conceitos e estruturas de pensamento em torno de seu conceito de ética para apoiar a organização anarquista produziram um ferramental teórico rico para a crítica nunca pararam de inspirar noções globais de solidariedade e afinidade. Em colaboração com Elisée Reclus e círculos de geógrafos anarquistas do século dezenove, Kropotkin estabeleceu princípios de geografia social e para o ensino de geografia que ainda inspiram tendências críticas e radicais na disciplina.

Primeira chamada de artigos

Pëtr Alekseevich Kropotkin (1842-1921) foi, sem dúvida, uma das mais importantes figuras na história global do anarquismo e dos princípios do socialismo. Os escritos e atividades de Kropotkin contribuíram para a formação de teorias internacionais e práticas anarco-comunistas, exercendo influência definitiva no pensamento anarquista e crítico que se mantém relevante até hoje.

Sendo um excepcional pensador e escritor, Kropotkin também é um sujeito exemplar para as histórias transnacionais de ativismo cosmopolita e multilíngue e para a análise do socialismo Europeu e internacional. Ele estabeleceu alguns dos artigos anarquistas mais influentes dos séculos dezenove e vinte, mantendo correspondência com uma grande rede de ativistas socialistas, e estava constantemente envolvido em atividade política, especialmente na Rússia, França e Reino Unido. Kropotkin era um crítico persistente e vocal do Czarismo e um igualmente veemente crítico do Marxismo.

O centenário de Kropotkin é ocasião para redescobrirmos uma excepcional figura que pode interessar e inspirar geógrafas/os, historiadoras/es, filósofas/os, antropólogas/os, sociólogas/os, economistas, cientistas sociais e outras/os estudiosas/os, assim como ativistas e públicos variados. Kropotkin pode nos ajudar a repensar os limites disciplinares das ciências sociais e naturais e das humanidades e o papel social transformador da análise crítica. Nós saudamos intervenções na vida e trabalhos de Kropotkin e em sua recepção, assim como contribuições que se inspiram no anarquismo de Kropotkin. Reconhecendo que a história do anarquismo, tal como a história de qualquer disciplina intelectual, não é limitada ao estudo dos “grandes homens” (ou “grandes mulheres”) da história, nós acolhemos intervenções que exploram redes mais abrangentes, circulação de ideias e espaços e contextos dos quais Kropotkin fazia parte. Nós convidamos especialmente contribuições sobre (mas não limitadas a):

  • A história e teoria do anarquismo, com especial referência a temas abordados por Kropotkin (ajuda mútua, descentralização, justiça social e trabalho manual, Revolução Francesa, ética, pedagogia, prisões…);
  • Acadêmicas/os e ativistas familiarizadas/os com Kropotkin ou envolvidas/os com a manutenção de seu legado;
  • História global e transnacionalismo, com especial referência a experiências de ativismo radical;
  • Filosofia e história da geografia (e da ciência em geral), com especial referência a tendências críticas iniciais;
  • Decolonialidade, feminismo, gênero e estudos críticos de raça, com especial referência a suas relações com a tradição anarquista;
  • Ajuda mútua, evolucionismo. Malthusianismo e suas críticas;
  • Filosofia da natureza, determinismo ambiental e suas críticas;
  • Ciência, religião e suas críticas;
  • Recepção do anarco-comunismo de Kropotkin na América Latina e mais amplamente no “Sul Global”;
  • Pesquisa anarquista e radical atual em todas as disciplinas acadêmicas (humanidades, ciências sociais, ciências naturais…)
  • Anarquismo e alternativas sociais radicais hoje.

Formato

Queremos evitar o formato de conferências clássicas, com “grandes nomes” fazendo discursos essenciais, acadêmicas/os em início ou meio de carreira organizando sessões e alunas/os apresentando artigos e pôsteres. Nesta conferência, todas as sessões serão em forma de plenária, (sem sessões paralelas, portanto), para que quem esteja apresentando possa se dirigir à audiência e todas as pessoas possam se ouvir.

Idiomas

As línguas utilizadas serão Português, Inglês, Espanhol e Francês. Convidamos todas/os que forem se apresentar a fornecer uma apresentação de slides em uma segunda língua. Nós organizaremos voluntárias/os para oferecer tradução solidária em grupos durante as apresentações.

Submissão de resumos

Por favor, submeta sua proposta (250-500 palavras) até 31 de Maio de 2020 para [email protected]. No aceite, você receberá informações sobre inscrição, possibilidades de acomodação, etc.

Algumas bolsas de viagem estão disponíveis para participantes que não contem com outros fundos para financiar sua viagem: como elas são em número limitado, não podemos garantir que todas/os as/os candidatas/os as recebam; então, se você quer se candidatar a financiamento de viagem por favor o especifique quando enviar seu resumo e envie detalhes dos motivos pelos quais necessita dessa ajuda.