Publicado em Deixe um comentário

Muvuca: a Monstro dos Mares colando com o hack festival do MateHackers

Muvuca Hack Festival

Entre os dias 06 e 27 de Novembro de 2021 acontece o Muvuca Hack Festival, com diversas atividades sobre tecnologia, cultura hacker e conhecimento livre realizado pelo MateHackers. O evento terá ao todo 12 encontros, sendo três em cada sábado (simples de memorizar: todo sábado tem) e apresentará uma variedade de temas como educação, cultura de software livre, dados abertos, robótica, desenvolvimento, anonimato/criptografia e lançamento de livro. Um dos destaques é que nessa edição 50% das atividades serão ministradas por mulheres, conferindo a elas a merecida visibilidade na área.

Dentre a programação do Muvuca, no primeiro dia do evento (06 de Novembro) a abobrinha (editora-geral) vai apresentar os processos, ferramentas e metodologias utilizadas pela editora para fazer livros e zines com softwares livre e disponibilizados em copyleft. No dia 20 de Novembro, Leo Foletto, vai apresentar o livro “Manifestos Cypherpunks“, organizado por ele e lançado conjuntamente entre o BaixaCultura e a Monstro dos Mares.

As inscrições são gratuitas, todas as atividades são online e você confere toda a programação no site do Muvuca Hack Festival:

muvuca.matehackers.org

Produção editorial utilizando software livre, dia 06 de Novembro às 17h no Muvuca Hack Festival.
Lançamento do livro "Manifestos Cypherpunks" com Leo Foletto, dia 20 de Novembro às 17h no Muvuca Hack Festival.

Muvuca recomendada

Publicado em 4 comentários

Estamos no Telegram

Existe uma multiplicidade de aplicativos de comunicação ponto a ponto que prometem ser seguros. Segurança antes de qualquer questão é pensar sobre a contingência e necessidade das mensagens trocadas, pois algumas questões não precisam ser ditas numa rede social ou num aplicativo seguro. Sua cultura de segurança é parte da sua proteção. Porém comunicar-se com agilidade é uma condição necessária.

Faz algum tempo adotamos o Telegram como uma alternativa “segura” ao comunicador preferido da maioria. Entendemos que essa não é a ferramenta mais segura do universo. Mas como foi criado um bot de notícias, um grupo (com muitas mensagens diárias) e também um canal de divulgação, optamos por manter esse contato mais genérico. Afinal de contas nós apenas fazemos livros e trocamos fofocas sobre a “anarcolândia”.

Com isso fica o convite para integrar o grupo ou receber os informes do canal: